sexta-feira, 11 de abril de 2014

Começa em Brasília encontro com gestores de igualdade racial de todo o país

Promovido pela SEPPIR, evento tem como objetivo reafirmar e ampliar o compromisso dos entes federados junto às políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade racial
Seppir Presidência
Mais de uma centena de gestores de organismos de Promoção da Igualdade Racial (PIR) de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal estão reunidos em encontro que acontece até esta quinta, 10, em Brasília. O evento é promovido pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e tem como objetivo reafirmar e ampliar o compromisso dos entes federados junto às políticas de enfrentamento ao racismo e de Promoção da Igualdade Racial, a partir da regulamentação do SINAPIR – sistema que atuará na articulação nacional das políticas sobre a temática.

Ao saudar os presentes, a ministra Luiza Bairros chamou a atenção para o fato do evento ser o primeiro a reunir os gestores e gestoras de todo o país após a regulamentação do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial, o SINAPIR, ocorrida em novembro, “o que é um fato da maior importância sob o ponto de vista da institucionalização das políticas de promoção da igualdade racial no Brasil”, disse.

O SINAPIR, que está com o processo de adesão aberto, é, segundo a ministra, uma forma de dar sustentabilidade às políticas de promoção da igualdade racial. “Esperamos que ele tenha efeitos nas políticas públicas de PIR, semelhantes a outros sistemas já implantados no Brasil, como o SUS”, disse.

Ao falar sobre o combate ao racismo, a ministra lembrou casos que recentemente mobilizaram a opinião pública e afirmou que as pessoas estão assustadas como se o fenômeno nunca tivesse existido. No entanto, o racismo sempre existiu, disse, e trata-se de uma ferramenta poderosa. "A sua explicitação é resultado da luta do Movimento Negro no país e não se trata de uma piora, mas de um contexto em que passa a ter mais visibilidade”.

Bairros foi aplaudida quando afirmou: “Medo e pessimismo não produzem ação política. São sentimentos estéreis no que se referem à possibilidade de mudança da sociedade. Como gestores, temos que entender a complexidade de nossas tarefas e da conjuntura atual em que o deslocamento de identidades tem evidenciado o racismo e gerado a reação de pessoas que têm visto os negros ocupando lugares simbólicos e materiais que não costumavam ocupar, e tendo acesso a locais que, historicamente lhes foram negados”.

Ela defendeu as ações afirmativas e as políticas públicas de PIR como estratégias que devem ser perseguidas para impelir a mobilidade das pessoas negras no interior da sociedade. “A SEPPIR trabalha na perspectiva de incluir a população negra no desenvolvimento do Brasil e o momento para isso é agora”, concluiu. 

Também participaram da mesa de abertura a assessora para Assuntos Federativos da SEPPIR, Eunice Léa de Moraes e o titular da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial do DF (Sepir), Viridiano Custódio de Brito.

Momento de troca – Para Viridiano, uma qualidade do evento é proporcionar a troca de experiências entre os gestores do país. Ele disse que uma das experiências exitosas no DF é a implantação do Disque Racismo, em março de 2013. “Também estou muito curioso para conhecer com mais detalhes o trabalho realizado na Bahia, a partir da recente implantação do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela”, disse. Custódio falou ainda sobre a expectativa para a aprovação, no Senado Federal, do PL 6.738/2013, que reserva aos negros 20% das vagas oferecidas nos concursos públicos federais e disse que um projeto semelhante está sendo analisado pelo setor jurídico do governo do DF.

Poder compartilhar informações também agrada Raimunda Luzia de Brito, coordenadora Especial de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial de Mato Grosso do Sul (Coppir/MS). “O evento é também uma confraternização entre os estados e proporciona uma troca de ideias em que cada um pode colaborar com o outro”.

Já Claudett de Jesus, secretária de Estado Extraordinária da Igualdade Racial do Maranhão, disse que a SEPPIR acerta ao mobilizar os gestores, o que termina sendo pedagógico e serve também como uma “injeção de ânimos”. “Se não, o medo pode até vencer a esperança diante das dificuldades que cada um de nós enfrenta no dia a dia”, afirmou.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Seminário Pensamento Radical de Clóvis Moura: Nos 10 anos de sua morte

Unegro
Há um pouco mais de 10 anos falecia Clóvis Moura. Um intelectual difícil de ser definido: historiador, sociólogo, antropólogo, jornalista, poeta. Rompia com as barreiras das disciplinas rigidamente estabelecidas pelas academias. O certo é que ele foi um dos principais estudiosos da situação e das lutas dos negros no Brasil. Mais do que teórico foi um militante da causa emancipadora.

Neste seminário pretendemos apresentar essas duas dimensões de sua obra e vida. Tratar de Clóvis como teórico que deu grandes contribuições para que compreendêssemos melhor o papel desempenhado pelos negros no processo de desenvolvimento da sociedade brasileira. Um dos primeiros a demonstrar que os escravos, através de suas rebeliões permanentes, foram protagonistas do movimento histórico que colocou em crise o sistema escravista. Ele também se debruçou sobre as particularidades do racismo à brasileira acobertado pela ideologia da democracia racial, que tem por raiz séculos de escravidão e opressão.

A outra dimensão é a do intelectual orgânico da esquerda, militante comunista e do movimento negro. Mais do que ninguém, como marxista, sabia que a teoria só cumpre algum papel transformador quando ganha as massas. E que a “arma da crítica” deveria se transformar na “crítica das armas”. Se ser radical é ir às raízes mais profundas dos problemas, podemos dizer que Clóvis Moura foi um dos mais radicais teóricos brasileiros.

Seminário Pensamento Radical de Clóvis Moura: Nos 10 anos de sua morte
22 de março (sábado) de 2014
Às 14 horas
Local: Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000, Paraíso, São Paulo)

1ª Mesa – Clóvis Moura e a luta teórica anti-racista
Expositores: Soraya Moura (historiadora), Kabengele Munanga (antropólogo e professor da USP), José Carlos Ruy (jornalista)
Coordenação: Augusto Buonicore (secretário-geral da Fundação Maurício Grabois)

2ª Mesa – Clóvis Moura e o Movimento Negro no Brasil
Participantes - Edson França (presidente da Unegro), Sueli Carneiro (diretora do Geledés), Maurício Pestana (cartunista e diretor executivo da revista Raça)
Coordenação: Olívia Santana (secretária nacional antiracista - PCdoB)

Coquetel e lançamento da 4ª edição do livro Rebeliões da Senzala e da revista Princípios dedicada ao pensamento de Clóvis Moura.

Promoção: Fundação Maurício Grabois, Seção paulista da FMG e Unegro.
Apoio: UJS e ANPG
Parceria: Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Município de São Paulo.

segunda-feira, 17 de março de 2014

Diplomatas do Brasil são suspensos por racismo, assédio moral e sexual

Dois diplomatas foram suspensos pelo Itamaraty após dez meses de investigação. Eles são acusados por funcionários do consulado em Sydney (Austrália) de assédio moral e sexual, racismo, homofobia e abuso de poder.
Américo Fontenelle, então cônsul-geral, ficará afastado por três meses, e o cônsul adjunto, César Cidade, por 30 dias, segundo despacho assinado pelo ministro Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e publicado no “Diário Oficial da União”.
O pagamento deles será suspenso. Segundo o Portal da Transparência, as remunerações brutas de Fontenelle e Cidade em janeiro foram R$ 20.372,47 e R$ 18.236,78, respectivamente.
No despacho, o chanceler afirma que acatou “integralmente o relatório da comissão processante”, formada por três embaixadores. Fontenelle e Cidade foram suspensos pelo “descumprimento de deveres funcionais”.
Entre os artigos desrespeitados, segundo a comissão, estão o de “manter conduta compatível com a moralidade administrativa”, “tratar com urbanidade as pessoas”, “exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo” e “manter comportamento correto e decoroso na vida pública e privada”.
O advogado de Fontenelle, Léo Alves, afirmou que a decisão foi adequada, mas disse que irá recorrer.
Questionado sobre as conclusões da comissão de sindicância, o Itamaraty afirmou que não poderia detalhar os motivos da punição, “porque as provas coletadas se referem, em sua ampla maioria, a aspectos da vida particular, da intimidade e da reputação dos diversos depoentes e dos indiciados”.
A Folha procurou a defesa de César Cidade, mas não obteve retorno.
A decisão de suspender os diplomatas agradou o sindicato de servidores da pasta.
“A resposta da comissão foi adequada. Instaura-se um novo momento no Itamaraty, de uma relação mais profissional e produtiva”, disse Alexey van der Broocke, presidente da entidade.
O Itamaraty se debruça ainda sobre o caso do diplomata Eduardo Saboia, que participou da operação para vinda do senador boliviano Roger Pinto Molina ao Brasil.
Uma sindicância foi aberta no ano passado para apurar a conduta do servidor no episódio e pode decidir pelo arquivamento do caso, suspensão do diplomata por até 30 dias ou instauração de processo disciplinar.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Vivências GRIOT em Dança Afro contemporânea com Aninha Catão

Vivências em cultura Afro popular GRIOT
 apresenta:


Descrição da vivência:



A
oficina trabalhará a dinâmica dos movimentos corporais através da
gestualidade e a importância e representação da cultura afro-brasileira
para a formação da identidade brasileira. Será abordado a saga dos 16
Orixás através da sua gestualidade mitológica. Com inspiração no
candomblé ketu, os movimentos serão trabalhados de forma contemporânea
incorporando as noções clássicas de dança, formando o que chamamos de
balé dos Orixás. Relação do Brasil com as divindades africanas, história
e mitos dos Orixás também serão abordados.



Oficineira:

Aninha Catão



Realização:

GRIOT

Aninha Catão

 Apoio:
Faixa de Gazah



Inscreva-se já!



Informações:
Pelo Facebook
(22) 9953.1204/
9949.6940





(22) 9223.7499/
9226.0365






griot_culturapopular@hotmail.com/ Blog do GRIOT 

quinta-feira, 6 de março de 2014

Chamada para apresentação de trabalhos no evento MARX 2014

FB/Gilberto Amaro 


Apresentação| Chamada para apresentação de trabalhos no evento MARX 2014| Seminário Nacional de Teoria Marxista, que ocorrerá entre os dias 12 e 15 de maio de 2014 na Universidade Federal de Uberlândia,Minas Gerais.

. O seminário visa debater as obras de Marx e os diversos marxismos. O evento é voltado para pesquisadores de graduação e pós-graduação, professores, integrantes de movimentos sociais e demais interessados. 

 Eixos temáticos

  1. Marxismo e socialismo na América Latina 
  2. Pensamento de Marx e Engels 
  3. Correntes do pensamento marxista e socialista 
  4. Trabalho e sindicalismo 
  5. Política e estado 
  6. Cultura e arte 
  7. Economia política 
  8. Movimentos sociais 
  9. Opressões: Raça e etnia, gênero e diversidade sexual 
  10. Educação 


 Proposta de Trabalho

 O primeiro passo é enviar um resumo expandido como proposta de trabalho a ser avaliada pela comissão organizadora. As propostas de trabalho (Resumo expandido) deverão ser enviadas para  seminariomarx@gmail.com de  até 10/03/14, em arquivo único, habilitado para edição com as seguintes informações: 
 1. Nome, e-mail para contato e breve resumo da formação acadêmica; 
2. Título da comunicação; 
3. Palavras-chave (três a cinco); 
4. Indicação do eixo (cf. lista acima);
 5. Resumo expandido (entre 4 e 5 mil caracteres). Cada trabalho inscrito poderá contar com até dois autores, sendo que ambos deverão estar inscritos no evento como autores. Cada autor poderá enviar uma única proposta de trabalho para um único eixo temático, devido a simultaneidade dos grupos de comunicação.

 Aqueles que tiverem propostas aprovadas deverão enviar os trabalhos completos até 21/04/2013. Os trabalhos completos serão publicados eletronicamente através de CD-Rom. Trabalhos Completos| Aqueles que tiverem as propostas de trabalho (resumo expandido) aprovadas devem enviar os trabalhos completos para  seminariomarx@gmail.com de 24 de março a 21 de abril de 2014

 Normas para envio de trabalhos completos
 - Os trabalhos devem seguir as seguintes orientações: 
 a) Tamanho: entre 25 e 45 mil caracteres (com espaço). 
 b) Fonte: Times New Roman, alinhamento justificado, tamanho 12 para o corpo do texto, 11 para as citações diretas longas (acima de três linhas) e 10 para as notas de rodapé, paginação, legendas das ilustrações, tabelas e gráficos. 
 c) Espaçamento: 1,5 cm entre linhas no corpo do texto e simples nas citações diretas longas e nas notas de rodapé. 
 d) Notas de rodapé: ao final de cada página correspondente e não ao final do texto. 
 e) Textos em arquivo único e formato habilitado para edição. O nome do arquivo deve ser o título do trabalho.
 f) A submissão deve conter: 

  • Título do texto: Primeira letra maiúscula e restante minúsculas, em negrito e centralizado. 
  •  Nome(s) do(s) autor(es), abaixo do título e alinhado à direita, seguido de nota de rodapé que o identifique (instituição, formação, e-mail para contato). 
  •  Resumo em português com, no máximo, 250 palavras. 
  •  Palavras-chave em português, separadas por ponto e vírgula. 
  •  Referências bibliográficas. 
  •  Glossário, apêndices e anexos (opcional). - 


Citações
 a) As citações diretas longas, com mais de três linhas, devem ser apresentadas sem aspas, em parágrafo próprio, com recuo de 4 cm em relação à margem esquerda, letra tamanho 11, espaçamento simples. 
 b) Apresentar referências bibliográficas das citações diretas e indiretas no corpo do texto, seguindo o seguinte modelo: (SOBRENOME DO AUTOR, ano da publicação: página em que se encontra a referência). 
 c) No caso de sites e páginas da web, indicar o endereço eletrônico no corpo do texto entre parênteses. Exemplo: (http://www.marxists.org/portugues/marx/index.htm). Não esquecer de colocar a referência completa na bibliografia final. 
 d) Indicar supressão de partes do texto nas citações diretas com reticências entre colchetes. - Referências bibliográficas 

 Apresentar as obras consultadas e de referência utilizadas para a redação do artigo ao final do texto, em ordem alfabética do sobrenome do autor. Identificar a obra da seguinte forma
 a) Livros: SOBRENOME, Nome. Título em itálico. Local de publicação: nome da editora, data. b) Artigos em coletâneas: SOBRENOME, Nome. Título do artigo. In: SOBRENOME, Nome do(s) Organizador (es). Título da coletânea em itálico. Local de publicação: nome da editora, data. 
c) Artigos em periódicos: SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Título do periódico em itálico, local, volume, número do periódico, páginas inicial-final, data. 
d) Tese ou dissertação acadêmica SOBRENOME, Nome. Título em itálico. Tipo (tese ou dissertação). Universidade. Local de publicação, data. 
e) Artigos em periódicos da Internet: SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Nome da Revista em Itálico, local, volume, número, data. Disponível em: . Acesso em: 01 fevereiro 2014. 
f) Páginas da Internet: SOBRENOME, Nome. Título da página em itálico. Disponível em: . Acesso em: 01 fevereiro 2014. 

 Comunicações
 Os trabalhos serão apresentados em comunicações orais, organizadas segundo os eixos temáticos. Resguardado o direito da comissão organizadora remanejar os eixos temáticos e os trabalhos conforme a quantidade e os temas dos trabalhos aprovados. 

Certificados
Os certificados serão emitidos àqueles que estiverem devidamente inscritos como autor(es) e cujos trabalhos forem efetivamente apresentados no Seminário. Só serão publicados no CD ROM os artigos cujos autor(es) efetuar(em) o pagamento de sua inscrição e com a apresentação oral suas comunicações durante as sessões dos GTs. 

Calendário

  • Envio de proposta de trabalho (resumo expandido): Até 10 de março de 2014. 
  • Divulgação dos trabalhos aprovados: 24 de março de 2014. 
  • Envio de trabalhos completos: Até 21 de abril de 2014. 

 Pagamento da taxa de inscrição como autor: 
Até 15 de Abril: R$ 30,00; 
De 15 de Abril a 01 de maio: R$ 45,00. 

Evento: De 12 a 15 de maio de 2014. 

 Observações
 A taxa de inscrição não será devolvida nos casos de desistência ou não comparecimento ao evento. A inscrição será confirmada somente após o recebimento do comprovante de pagamento da taxa. As inscrições não confirmadas serão canceladas e o pagamento não será devolvido.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

GRIOT: VIVÊNCIAS | em cultura afro popular GRIOT

VIVÊNCIAS | em cultura afro popular GRIOT

Jongo, Samba de Coco, Ciranda Praieira, Maracatu, Afoxé, Puxada de rede, entre outras manifestações.
. Abordagens: pesquisa de pontos/toadas/musicalidades, de aspectos históricos de sociais, tradição, contemporaneidade, contextualizações, dança, gestual e percussão básica. 
. Roda/apresentação mensal (pelo menos uma 1 vez por mês, em lugar, data e hora a serem divulgados).
. Duração dos encontros semanais: 2 horas
. Duração total das vivências: contínuas
. Público alvo:
Todas as pessoas interessadas em cultura, cultura afro brasileira, música, poesia, dança, tradições populares, etc. podem participar, independente da idade (porém crianças até 10 anos turmas separadas), cor de pele, de crenças, condições financeiras, partidos políticos.


Responsáveis:
• Márcia Fonseca 
. Pós-graduação em Estudos Africanos e da Diáspora - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC – Centro de Educação à Distância).
. Graduação em Licenciatura em Educação Física – UFRRJ 
(Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro).
. Idealizadora e pesquisadora do GRIOT pesquisa, difusão e memória em tradições Afro brasileiras.
. Professora efetiva da rede municipal de Cabo Frio (projeto pedagógico com foco na lei 10639/3).

• Andréia Fernandes 
. Formada pela Universidade Veiga de Almeida (Campus Cabo Frio).
. Professora e pesquisadora da área de História.
. Coordenadora das Atividades do GRIOT pesquisa, difusão e memória em tradições Afro brasileiras.


Local: Rua Olinda, 384. Palmeiras 
(pela lagoa é a rua em frente ao quiosque da Suely)
Hora: 19h"Doação" mensal: 
R$ 50,00
R$ 25,00 (povaria do coletivo)

Contatos:
(22) 9 9953.1204 
9 9226.0365
9 9602.1059

Realização:
Faixa De Gazah
GRIOT
pesquisa, difusão e memória em tradições
Afro brasileiras.
Casa das Palmeiras 
Karenn Produções 
Apoio cultural:
Ateliê Eliane Guedes